Advertisement

[Ferramentas] Como utilizar o planning poker em seu projeto de software

O planning poker é uma ferramenta muito útil dentro do desenvolvimento de softwares tanto pessoais quanto na indústria. Essa ferramenta permite que os desenvolvedores junto ao dono do software estimem a quantidade de horas necessárias para implementar as funcionalidades do software. 

1- O que é o planning poker?


Planning Poker foi criado baseando-se na metodologia ágil Scrum e permite ao time do projeto gerar estimativas rapidamente. É importante dizer que ao usar essa técnica não precisamos detalhar ao máximo as atividades definindo o tempo em horas para cada tarefa. O trabalho deve ser feito baseando-se nas user stories do projeto, onde a equipe com sua experiência registra o quanto um recurso, uma user story é maior que a outra.
Portanto, o primeiro passo para "jogar" o planning poker é ter uma lista de user stories representando o escopo do seu projeto. Com a lista criada, o time é reunido visando trabalhar nestas estimativas. Os Story Points são usados como métrica para representar um valor abstrato de tamanho. É importante dizer que esse não é uma estimativa em horas (mesmo que muitas pessoas convertam para tal).  Existem profissionais que não recomendam essa conversão, visto que isso tira a característica do Story Point, que por definição busca ser abstrato para mostrar o tamanho relativo da user story em comparação com as outras user stories da lista.
Os membros da equipe ao "jogar" o planning poker possui em mãos cartas do baralho, cada um com um valor diferente de Story Point. Os possíveis valores são: 0, 1/2, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 20, 40 e 100. Além dessas, existem as cartas de ‘interrogação’, ‘infinito’ e em alguns modelos, a carta ‘café’. 

2- Como ele funciona

Agora vamos entender melhor como esse "jogo" funciona. A seguir veja como é possível organizar a sua equipe e realizar as estimativas de um projeto.

Passo 01 - Alguém da equipe faz a leitura da user story em voz alta. É interessante que o user story seja apresentado em um slide na TV ou simplesmente escrito no quadro branco.
Passo 02 - A equipe deve discutir o critério de aceitação (inicialmente definido pelo Product Owner) e todos tiram todas as dúvidas sobre a user story.
Passo 03 - Os membros (exceto o Product Owner) deve decidir quantos pontos essa user story merece e seleciona a carta do seu baralho que corresponde a complexidade daquela tarefa, porém não mostra aos demais.
Passo 04 - Quando todos os membros já tiverem feito sua decisão de pontuação para a story, todos devem virar as cartas ao mesmo tempo (isso evita que os membros enviésem a decisão dos demais)
Passo 05 - Em caso de divergência na opinião dos membros, cada um deve apresentar uma justificativa para o valor mais alto ou mais baixo.
Passo 06 - Depois o time deve votar novamente até que o grupo chegue a um acordo para uma pontuação adequada para o story.
Caso não houver um acordo...

O Scrum Master pode interferir. Vamos supor que você tenha 5 participantes votando, insistindo nos seguintes valores:
  • A: 5
  • B: 5
  • C: 5
  • D: 8
  • E: 2
O Scrum Master, com base nos argumentos, pode solicitar ao time que entre em acordo de qual destas estimativas utilizar. A escolha NÃO é sempre pela maioria ou pela média! A equipe pode confiar no participante ‘E’ que diz já ter desenvolvido o mesmo trabalho da user story e não vê dificuldades ou preferir o voto da maioria. O time decide!
Não se esqueçam de estimar também as novas user stories que vão surgindo ao longo do projeto. Quando a user story surgir, faça a estimativa usando Planning Poker, não deixe para depois.
Porque usar Story Points ao invés de volume de Horas?
Em um projeto, as partes interessadas costumam ter dificuldades para entender o conceito de horas ou dias ‘ideais”.
Se seu time diz que levará ’30 dias ideais’ para concluir uma user story, os demais envolvidos no projeto, principalmente os relacionados à área de negócio costumam esquecer a parte do ‘ideal’ e lembrar apenas dos 30 dias, falando “oba, eles vão terminar o trabalho em apenas 30 dias”.
Outro problema é a capacidade técnica da equipe. Enquanto um membro mais experiente pode dizer que termina o desenvolvimento da user story em apenas 1 hora, um menos experiente pode informar que levará 10.
O uso de story points elimina este problema pois separamos o tamanho da user story do tempo que realmente levará para desenvolver. Desta forma a equipe conseguirá estimar com mais eficiência o tamanho relativo das user stories.
Em tempo: ‘Horas Ideais’ são as horas efetivamente trabalhadas em uma atividade. Se considerarmos que um dia tem 8 horas úteis, podemos ter em média 5 ou 6 horas ideias, descontando por exemplo: reuniões, café, tempo de ida ao banheiro, momentos de socialização, etc. Considere horas ideias as efetivamente trabalhadas na atividade, sem interrupções. Esqueça portanto aquele conceito que 1 mês possui 160 horas disponíveis.
Onde posso conseguir um baralho de Planning Poker?
Você encontra diversos modelos para download na internet, além de alguns sites vendendo modelos impressos.
Clique no botão abaixo e faça o download de um modelo simples em PDF para você mesmo imprimir e começar a estimar seus projetos ainda hoje!

Como utilizar a carta Zero (0), Infinito, Interrogação(?) e “Café”?

Zero (0)

As vezes a user story é tão simples que a equipe não quer prejudicar a capacidade de entrega da sprint com ela. Por exemplo: Uma user story diz que precisamos mover o botão ‘salvar’ da tela do aplicativo da direita para a esquerda. A equipe acredita que isso pode ser feito em poucos minutos. Então ao invés de usar a carta 1/2, utiliza a carta 0.

Infinito

Praticamente o oposto. A user story é tão grande que não se encaixa na carta “100”. A equipe não se sente confortável em estimar então utiliza a carta ‘infinito’. A user story precisa ser melhor entendida ou ainda quebrada em user stories menores.

Interrogação (?)

Como dito antes, a equipe precisa discutir cada user story antes da votação para que todos os membros entendam do que a mesma se trata. Porém as vezes um membro da equipe não faz idéia de como estimar. Então ele utiliza a carta ‘Interrogação(?)’ para sinalizar que precisa discutir mais a user story até que todo o time tenha realmente entendido do que ela se trata.

Carta Café

Ninguém é de ferro! Esta carta serve para sinalizar que alguém da sua equipe precisa fazer uma pausa. O Scrum Master pode ajudar a definir o tempo de intervalo e, claro, providenciar comida e bebida para a reunião.

Conclusão

A técnica do Planning Poker ajudará sua equipe a não ficar dias estimando um projeto. Fornece resultados rápidos com um bom nível de precisão. E ainda vem com um benefício adicional: Estimula sua equipe a discutir cada user story, gerando maior entendimento do projeto como um todo, acelerando o desenvolvimento já que todos sabem o que estão fazendo e onde querem chegar. Além disso aumenta a chance de acertarmos nas estimativas, uma vez que as mesmas são criadas pelas opiniões individuais da equipe e não por um membro experiente isolado.

Esse artigo foi adaptado do texto original publicado por Alexandre Vignado e distribuido pelo site Profissionais de TI





Nenhum comentário

Conta pra mim sua opinião!

Fale comigo