Objetos em Java
Objetos

Objetos em Java

Esta aula tem como objetivo introduzir o conceito de objetos, além disso veremos quais são seus principais componentes e como é a sua criação em Java.

Antes de qualquer conceito devemos entender a finalidade de criar objetos. O objetivo o paradigma orientado a objetos já foi discutido na Aula 01 deste curso. Porém, é pertinente dizer que um objeto é a representação de um objeto do mundo real.

A Programação Orientada a Objetos foi criada por Alan Kay, autor da linguagem Smalltalk. Antes mesmo da criação Orientada a Objetos, já existiam algumas aplicações, neste caso da linguagem Simula 67, criada por Ole Johan Dahl e Kristen Nygaard em 1967. Recentemente um aluno em busca de algumas respostas trocou alguns e-mails com o professor Alan Kay que foi documentada e está disponível como um artefato histórico.
 
 

1 – Conceitos importantes

 
Nesta aula abordaremos alguns conceitos muito importantes para a orientação a objetos, são eles: Classes, objetos, atributos, métodos e construtores. Cada um deles serão explicados a seguir.
 

2 – A classe

 
Uma classe é o início de tudo, o gênesis para entender a orientação a objetos. Uma classe é uma representação de um objeto no mundo real. Cada classe possui características e comportamentos de um objeto real.  Por exemplo: Um carro, pode ser considerado um objeto com atributos como o volante, rodas, pedais, etc. Um carro tem a possibilidade de realizar algumas ações, assim como acelerar, por exemplo.
 
Toda classe possui algumas características, como:
 
  • Um nome;
  • Membros: características e ações;
 

3 – Como declarar uma nova classe

 
A declaração de uma classe em Java segue a seguinte estrutura:

class + NomeDaClasse {
      // Conteúdo
}
 
 
 
Para declarar atributos devemos identificar sua visibilidade, tipo e nome do atributo. Veja o exemplo:
 

int idade;
 
 
A declaração de métodos (ações) ocorre semelhante a declaração de funções em outras linguagens, observe o exemplo:
 

int metodoDeclarado() {
         //conteúdo
}
 
 

4 – Exemplo de uma classe completa

 

Vamos imaginar uma situação onde precisamos declarar um objeto com seus atributos e métodos. Para tanto vamos utilizar o exemplo de um carro;
 

public class carro{
     String marca;
     int quantidadeDeRodas;
     int tamanhoDoTanque;
     String cor;

 void acelerar(){
     // Acelera o carro
 }

 void frear() {
     // para o carro
 }

 void ligarCarro(){
     // Dá a partida no carro
 }
}
 
 
 

5 – Objetos

 
Agora pense bem, a classe carros pode representar qualquer carro. Assim podemos ter um carro de cor amarela, ou cinza; mesmo assim, ele não deixa de ser um carro.
 
Com base nisso, podemos dizer que a descrição geral de um carro é a classe. E também podemos definir que cada carro criado, a partir da especificação da classe é um objeto. Também pode ser chamado de instância.
 

6 – Construtores

 
Quando você já definiu a classe desejada, para criar uma instância na memória é necessário invocar o construtor desta classe. Para realizar este comando é necessário digitar o comando new.
 
Assim como a própria palavra já diz, o new significa – novo. Criar uma nova instância na memória. Podemos comprar com o projeto e um produto. Imaginem que possuímos o projeto de como produzir um carro. É claro que o projeto de um carro, não é um carro, porém ao executar este projeto criamos um novo carro.
 
Em Java os construtores são declarados dentro da classe utilizando o mesmo nome da classe e um atributo de visibilidade.
 

NomeDaClasse(){
       //Conteúdo;
}

 
 
Para realizar a instanciação de um novo carro em Java devemos utilizar a seguinte sintaxe;
 

Carro c; // Cria a Variável carro
c  = new Carro(); // Instancia um novo carro;
 
 
Um detalhe importante é que todas as classes precisam de um construtor. Assim, para facilitar a vida dos programadores, o Java por padrão já possui um construtor padrão que inicializa todos os atributos com valores padrão. Por exemplo: Inteiros – 0; String – Vazias; Double – 0.0;
 
Quando desejamos declarar um construtor personalizado – o que é muito comum – utilizamos o código citado anteriormente. O detalhe é que quando declaramos um construtor personalizado, o construtor padrão se perde e somente o construtor declarado existirá. Fique atento a isso.
 
 
 

Vinicius dos Santos

Apenas um apaixonado por Ciência da Computação e a forma com que ela pode transformar vidas!

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta